Top Ad unit 728 × 90

Últimas publicações

recent

Eis os cardeais do Papa Francisco



Tradução: Carlos Wolkartt – Renitencia.com

Cidade do Vaticano, 12 de janeiro de 2014 – Quatro curiais e doze residenciais com menos de 80 anos. O arcebispo de Perugia é o único purpurado residencial italiano inserido na lista; o outro europeu é o britânico Vincent Nichols. Cinco novos cardeais latino-americanos (e entre eles, o primeiro capelo para um bispo do Haiti), dois africanos e dois asiáticos. Um novo purpurado canadense. Esta é a “geografia” da primeira criação cardinalícia do Papa Francisco, anunciada hoje, que será celebrada no próximo dia 22 de fevereiro.

Tornar-se-ão cardeais o Secretário de Estado Pietro Parolin; o Prefeito da Congregação para a doutrina da fé Gherard Müller; o Prefeito da Congregação do clero Beniamino Stella; o Secretário-geral do Sínodo dos bispos Lorenzo Baldisseri (que como secretário do conclave, em 13 de março de 2013, recebeu das mãos de Bergoglio o solidéu cardinalício que o arcebispo de Buenos Aires não mais usaria).

Dois são os novos purpurados das dioceses europeias: o arcebispo de Westminster, Vincent Nichols; mas a surpresa mais significativa é a púrpura do arcebispo de Perugia, Gualtiero Bassetti, a quem Francisco já havia valorizado nomeando-o, no fim de 2013, membro da Congregação dos bispos.

A América Latina terá cinco purpurados e também aqui com uma surpresa. Tornar-se-ão cardeais Mario Poli, sucessor de Bergoglio no governo da diocese de Buenos Aires; o arcebispo de Santiago do Chile Riccardo Ezzati; o arcebispo do Rio de Janeiro João Orani Tempesta; o arcebispo de Managua, Leopoldo José Brenes Solórzano. E junto com eles, Francisco quis criar também o primeiro cardeal do Haiti, o presidente da Conferência episcopal Chibly Langlois.

Dois barretes vermelhos vão para a África. Tornar-se-ão parte do colégio cardinalício o arcebispo de Ouagadougou (Burkina Faso) Philippe Ouèdraogo, e o arcebispo de Abidjan (Costa do Marfim) Jean Pierre Kutwa.

Uma púrpura vai para o Canadá: Gèrald Cyprien Lacroix, arcebispo de Quebec. Por fim, à lista dos catorze novos cardeais com idade inferior a 80 anos foram incluídos o arcebispo de Seul (Coréia do Sul) Andrew Yeom Soo-jung, e o filipino de Mindanao Orlando Beltran Quevedo – totalizando assim 16 novos cardeais eleitores.

Papa Francisco superou o limite de 120 eleitores com menos de 80 anos, com o direito de entrar em um eventual conclave – limite criado por Paulo VI. E decidiu continuar a tradição de criar purpurados ultraoctogenários (com mais de 80 anos), dando o barrete a três arcebispos eméritos. Entre estes, o ex-secretário de João XXIII, o arcebispo Loris Capovilla (98 anos), para quem a púrpura já foi preconizada muitas vezes. Junto com ele receberá o capelo Fernando Sebastiàn Aguilar, arcebispo emérito de Pamplona, e Kelvin Edward Felix, arcebispo emérito de Castries, na Jamaica.

O primeiro consistório do Papa Francisco está marcado por uma ampla representatividade da Igreja do mundo. A não inclusão dos bispos de outras dioceses italianas consideradas tradicionalmente cardinalícias (como Veneza e Turim) talvez signifique – além do “emagrecimento” da presença italiana no colégio cardinalício – o fim do automatismo neste sentido. Na Cúria, o capelo não foi para o Bibliotecário da Santa Igreja Romana, o francês Jean-Louis Bruguès, nem para nenhum dos presidentes dos Conselhos Pontifícios. Provavelmente, esta é uma indicação para a Cúria do futuro.

*    *    *

Lista dos novos cardeais

Eleitores:

1. Pietro Parolin, Secretário de Estado;
2. Gherard Müller, Prefeito da Congregação para a doutrina da fé;
3. Beniamino Stella, Prefeito da Congregação do clero;
4. Lorenzo Baldisseri, Secretário-geral do Sínodo dos bispos;
5. Vincent Nichols, arcebispo de Westminster, Londres;
6. Gualtiero Bassetti, arcebispo de Perugia, Itália;
7. Mario Aurelio Poli, arcebispo de Buenos Aires, Argentina;
8. Riccardo Ezzati, arcebispo de Santiago, Chile;
9. João Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, Brasil;
10. Leopoldo José Brenes Solórzano, arcebispo de Managua, Nicarágua;
12. Chibly Langlois, bispo de Les Cayes, Haiti;
12. Philippe Ouèdraogo, arcebispo de Ouagadougu, Burkina Faso;
13. Jean Pierre Kutwa, arcebispo de Abidjan, Costa do Marfim;
14. Gèrald Cyprien Lacroix, arcebispo de Quebec, Canadá;
15. Andrew Yeom Soo-jung, arcebispo de Seul, Coréia do Sul;
16. Orlando Beltran Quevedo, arcebispo de Cotabato, Filipinas.

Não-eleitores:

1. Loris Capovilla, arcebispo titular de Nessebar;
2. Fernando Sebastiàn Aguilar, arcebispo emérito de Pamplona, Espanha;
3. Kelvin Edward Felix, arcebispo emérito de Castries, Jamaica.
Eis os cardeais do Papa Francisco Reviewed by Renitência on domingo, janeiro 12, 2014 Rating: 5
Todos os direitos reservados — Renitência © 2013—2018
Hospedado no Blogger. Desenvolvido por Sweetheme.

Entre em contato conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.