Renitência

Últimas publicações

recent

Contra os católicos, não é crime. Mas, contra os muçulmanos...

Tradução: Carlos Wolkartt – Renitencia.com

É difícil acreditar que, por anos, certos apologistas da Revolução Francesa negaram que uma prostituta vestida de “Razão” foi entronizada no altar-mor da Catedral de Notre-Dame para cantar canções obscenas.

Em Paris, um duplo padrão anticristão politicamente correto vem sendo adotado pelos juízes. Eles condenaram duas mulheres porque elas depositaram uma cabeça de porco do lado de fora de uma mesquita, enquanto nove mercenárias do Femen ficaram impunes depois de haverem profanado a catedral de Paris.

Violar a catedral de Paris — a igreja mais importante da França — é uma manifestação menos grave do que a profanação de uma mesquita? Sim, disse um juiz francês, assim como indicam as precipitadas sentenças de absolvição e de condenação.

Duas mulheres foram condenadas na França a nove meses de prisão por haverem depositado uma cabeça de porco em frente à mesquita de Mayotte. Elas conseguiram seis meses de liberdade condicional, mas ainda assim terão que passar três meses na cadeia.

Condenadas por “incitação ao ódio”

A sentença foi dada pela Divisão Criminal de Mamoudzou em 18 de setembro. O incidente ocorreu na última véspera de ano-novo. Depois de uma noite de bebedeira com muito álcool, uma mulher teve que pagar uma aposta perdida depositando uma cabeça de porco na porta de uma mesquita. A segunda mulher foi condenada por oferecer a cabeça de porco. O marido da primeira também foi condenado por havê-las levado de carro até a mesquita. A condenação ocorreu por causa de “incitação ao ódio, violência e discriminação contra uma religião”.

Mercenárias políticas do Femen absolvidas

O julgamento de Mamoudzou foi realizado de acordo com as provisões penais vigentes. No entanto, a sentença irritou muitos franceses. Muitos se perguntaram por que três pessoas foram parar na cadeia por haverem depositado uma cabeça de porco na frente de uma mesquita — na qual sequer entraram —, enquanto nove ativistas do Femen, que várias vezes profanaram a Catedral de Notre-Dame de Paris, foram absolvidas por um senado criminal em Paris. As mercenárias políticas do Femen invadiram a Catedral de Notre-Dame despidas da cintura para cima e pintadas com slogans blasfemos. Saltaram sobre o altar e danificaram o sino enquanto gritavam palavras de ordem blasfemo-sexistas. A catedral profanada teve de ser rededicada com um rito próprio antes que quaisquer rituais pudessem ser celebrados ali novamente.

Igreja ainda terá que pagar indenizações às militantes do Femen

Os juízes parisienses também ordenaram que as “sex tremistinnen”, como as mercenárias políticas anticristãs chamam a si mesmas, devem ser indenizadas. A Arquidiocese de Paris terá que pagar 1.500 euros a cada militante feminista porque o serviço de segurança da Catedral se atreveu a carregar as “senhoras” para fora do templo contra a vontade delas.

Será que o julgamento seria o mesmo se o Femen invadisse uma mesquita? Na França, há boas razões para duvidar. Resta esperar para ver se as mulheres-Femen ousarão pôr os pés em uma mesquita e se atreverão a atacar representantes muçulmanos de qualquer forma — enquanto a lista de danos em profanações de igrejas, como a Catedral de Colônia, e em ataques contra bispos e cardeais católicos, incluindo os cardeais Leonard (Bruxelas) e Rouco (Madri), está ficando cada vez mais longa.

Para um juiz francês, a profanação da mais importante catedral católica do país é menos grave do que um ato ofensivo contra qualquer mesquita. Os diferentes padrões de hostilidade cristã politicamente correta.
Contra os católicos, não é crime. Mas, contra os muçulmanos... Reviewed by Editor on segunda-feira, setembro 22, 2014 Rating: 5
Todos os direitos reservados — Renitência © 2013—2018
Hospedado no Blogger. Desenvolvido por Sweetheme.

Entre em contato conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.